Archive

  1. Prémio Jovem Investigador/a

    Leave a Comment

    Cinco estudantes de pós-doutoramento especializados em métodos alternativos de investigação.

    A toxicologia tem sido ao longo de vários anos baseada e centrada no uso de animais, impedindo que cientistas preocupados com a utilização de animais para fins científicos se tornem toxicólogos. Os/as investigadores/as que procuram métodos alternativos à utilização de animais deparam-se, frequentemente, com a inexistência ou grande relutância em financiar projetos que não recorram aos testes animais. O Prémio Lush pretende que esta situação se altere, encorajando, através da atribuição de uma bolsa no valor de 10 000 libras (cerca de 12 000 euros), jovens cientistas que queiram seguir um percurso profissional na área da Toxicologia excluindo o uso de animais.

    Procuramos jovens cientistas apaixonados (com idade igual ou inferior a 35 anos aquando da candidatura) cujos objetivos sejam o seguimento de uma carreira profissional focada num futuro livre de experimentação animal. As candidaturas poderão ser efetuadas em nome próprio ou por colegas, em baixo.

     

    As candidaturas para 2014, deverão abrir em Abril de 2014.

  2. Consciencialização pública

    Leave a Comment

    Consciencialização do público acerca dos testes realizados em animais.

    Apesar dos inúmeras anos de campanha, a experimentação animal continua a subsistir. Algumas pequenas vitórias legislativas conduziram, no entanto, à perceção de que a utilização de animais, sobretudo para fins cosméticos, já não se afirma como realidade.

    Por este motivo, é vital relembrar a opinião pública de que estas práticas cruéis e pouco científicas continuam a ocorrer em variadas áreas do globo. O apoio financeiro é essencial para assegurar que este tema chegue ao público e que se torne prioritário, continuando a ser discutido na agenda política. O Prémio Lush procura recompensar excelência e inovação demonstradas por organizações que desempenhem projetos nesta área.

    As nomeações podem ser feitas pelo público ou pelas organizações em nome próprio. Poderá nomear um indivíduo, grupo ou organização em baixo.

     

    As candidaturas para 2014, deverão abrir em Abril de 2014.

  3. Educação

    Leave a Comment

    Treino de investigadores e cientistas na área de testes não-animais.

    Atualmente, um número elevado de cientistas e reguladores que revelam preocupação com a experimentação animal não se encontram familiarizados com o vasto leque de métodos não-animais existentes ou não possuem preparação para os utilizar. A implementação de programas de aprendizagem e treino por todo o globo constituirá um grande progresso nesta área.

    Por este motivo, o Prémio Lush pretende remunerar indivíduos, equipas e organizações cujo trabalho seja particularmente relevante neste campo. Qualquer pessoa poderá fazer nomeações de outrém, sendo que as candidaturas podem igualmente ser efetuadas em nome próprio. Poderá nomear um indivíduo, equipa ou instituição em baixo.

     

    As candidaturas para 2014, deverão abrir em Abril de 2014.

  4. Ciência

    Leave a Comment

    Investigação em Toxicologia do Século XXI

    A Toxicologia do Século XXI como uma nova abordagem aos testes de segurança tem entusiasmado reguladores, toxicologistas, campanhistas e empresas por todo o mundo. A sua emergência tornou-se possível devido aos inúmeros avanços nas áreas da biologia, genética, robótica e ciência computacional.

    Foca-se, sobretudo, em “trilhos toxicológicos” humanos, isto é, a sequência de alterações moleculares das células do corpo humano quando expostas a um químico tóxico. À medida que estes trilhos moleculares são descobertos para diferentes grupos de químicos e efeitos tóxicos, a ciência computacional identifica os passos necessários que podem ser utilizados na elaboração de testes de segurança sem a utilização de animais.

    Vários testes serão executados recorrendo a modelos robóticos, providenciando um método de avaliação dos efeitos de determinados químicos com custo significativamente mais reduzido e providenciando soluções para um conjunto de substâncias não testadas. Por outro lado, esta nova metodologia produz resultados de maior relevância para aplicação humana, explicando igualmente as causas implícitas e fundamentais da toxicidade de determinado produto. Ao contrário dos métodos animais – utilizando ratos, ratazanas, coelhos, entre outros – estes novos testes constituem um contributo para a previsão da variabilidade humana providenciando efeitos diferenciais em embriões, crianças e adultos. O reconhecimento da superioridade científica desta nova abordagem levará a que métodos obsoletos utilizando animais sejam substituídos. Para mais informações acerca Toxicologia do Século XXI, consulte:

    Humane Society International (video)

    National Academy of Sciences Introduction (3pp pdf)

    Human Toxicology Project Document (2pp pdf)

    US National Academy of Sciences (Book 196pp)

    Qualquer pessoa pode nomear indivíduos, equipas de investigação e instituições cujo trabalho tenha obtido resultados relevantes na área dos trilhos de toxicidade. As candidaturas podem ser feitas igualmente em nome próprio, da equipa ou instituição para qual o indivíduo trabalha. Pesquisas cujo trabalho seja de grande destaque no campo da toxicidade humana e sem a utilização de animais serão também consideradas. Poderá nomear um indivíduo, equipa ou instituição em baixo.

     

    As candidaturas para 2014, deverão abrir em Abril de 2014.

     

     

  5. Lobbying

    Leave a Comment

    Intervenção política promovendo o uso de métodos alternativos.

    A inovação científica necessita caminhar lado a lado com mudanças políticas, assegurando, deste modo, que os usuários deste tipo de teste – indústria e reguladores – se encontrem recetivos a estes novos métodos. Para que esta mudança ocorra, é necessária uma abordagem multifacetada e global, incluindo lobbying de teor científico a níveis nacional e supra-nacional de modo a:

    * Estipular e fixar métodos não-animais em programas de diretrizes de testes de segurança nacionais ou pertencentes à União Europeia e à OECD (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento económico).
    * Fazer a revisão dos parâmetros de testes existentes, excluindo destes os testes que utilizam animais
    * Obter um requerimento mandatório para testes não-animais na legislação, políticas reguladoras, diretrizes de testes, etc.

    Procuramos recompensar indivíduos, grupos e organizações excecionais cujo trabalho extraordinário esteja a contribuir para uma mudança significativa nesta área.

    Procuramos nomeações de organizações familiarizadas com o trabalho de lobbying, bem como do público geral.Poderá nomear um indivíduo, grupo ou organização em baixo.

     

    As candidaturas para 2014, deverão abrir em Abril de 2014.